Atlético-MG e Flamengo decidem Supercopa em clima quente e pressão nos técnicos



Porto Velho, Rondônia - A primeira decisão do ano entre clubes do País já vai colocar à prova o quão Antonio Mohamed e Paulo Sousa terão paz para desempenhar seu trabalho com Atlético-MG e Flamengo, respectivamente, que se enfrentam às 16 horas para definir o título da Supercopa do Brasil. A decisão ocorre na Arena Pantanal, em Cuiabá, e promete ser em clima bastante elevado e nada amistoso após troca de farpas e acusações entre os dirigentes.

Campeão brasileiro e da Copa do Brasil, o Atlético-MG queria algum privilégio - a Supercopa reúne sempre o dono desses títulos da temporada passada. Mas não conseguiu nem escolher o palco do jogo, como sugeria o diretor de futebol Rodrigo Caetano. A escolha da CBF em levar a partida para Cuiabá não foi bem aceita e os mineiros ainda acusaram o rival de ter sido informado antes. O presidente Sérgio Coelho mandou até um ofício de protesto a usando os cariocas de estarem sendo beneficiados.

A bronca acabou virando bate-boca. O vice jurídico do Flamengo, Rodrigo Dunshee, postou que pessoas "falavam muita besteira" e não "deveriam receber atenção". O presidente retrucou chamando-o de "bobo da corte". Com essa rivalidade aflorada, a pressão sobre os treinadores em buscar o troféu aumentou consideravelmente. O título seria a resposta para as polêmicas.

Antonio Mohamed vive situação mais tranquila em Belo Horizonte. Mas sabe que o time pode render mais após vitórias sofridas nas duas últimas rodadas do Mineiro contra rivais mais duros. Fez 2 a 0 no América-MG com gols no fim e só superou o Athletic com pênalti nos acréscimos. "Sei muito da rivalidade e estou muito comprometido com a instituição, com a camisa. Vamos fazer de tudo para ganhar essa copa", enfatiza o técnico argentino. 'El Turco' garante que o Atlético-MG entrará forte e bem preparado para a busca do título.

"É um rival difícil, que vai sair para propor o jogo. E nós vamos sair também, com nossas armas, pois também temos nossas forças. Creio que será uma final que será definida em pequenos detalhes e chegamos muito bem fisicamente para a decisão, descansados e preparados", disse o treinador.

Depois de rodar bastante o elenco, descontando peças importantes no Mineirão, inclusive, Antonio Mohamed vai usar na final sua escalação ideal do Atlético-MG. Ele não revela quais são suas escolhas, mas promete time ousado, veloz e forte na Arena Pantanal.

Menos tranquilo por causa da alternância de comportamento do Flamengo, Paulo Sousa sabe que não pode deixar escapar o título para ter tempo para implementar suas ideias no Brasil. O português até agora não definiu time e esquema no Flamengo e há quem defina sua equipe como um "catadão".

O português insiste em usar um falso 3-4-3 com o lateral-esquerdo Filipe Luís fazendo papel de falso terceiro zagueiro, e ainda não definiu seu time ideal, o que vem causando certo incômodo no torcedor. O técnico diz estar buscando o melhor para a equipe e, ao invés de peitar as cobranças da torcida, aposta justamente na força vinda das arquibancadas - todos os 31.219 ingressos foram vendidos antecipadamente.

Fonte - Terra

Postar um comentário

0 Comentários