Álbum 'perdido' de Gilberto Gil, gravado em 1982, pode ser ouvido pela primeira vez


Descoberta do trabalho cantado na língua inglesa faz parte do lançamento de página dedicada ao artista na plataforma Google Arts & Culture

Porto Velho, RO - A plataforma de arte e cultura do Google — a chamada Arts & Culture — lançou nesta terça-feira uma página especial dedicada a Gilberto Gil, em comemoração aos 80 anos de idade do artista. O conteúdo preparado em parceria com o Instituto Gilberto Gil e leva o nome de "O ritmo de Gil". Seu funcionamento é nos moldes de uma exposição digital.

Em uma coletânea de fácil navegação é possível ver imagens de encontros familiares, conteúdo interativo sobre a história do artista e diversos vídeos que compreendem a carreira do cantor em sua totalidade, incluíndo um registro bastante recente, no Festival MITA, em São Paulo.

De acordo com o presidente do Google Brasil, Fabio Coelho, trata-se da maior retrospectiva dedicada a um ícone cultural vivo, em todo o mundo, na plataforma da marca. Ele conta que, ao longo da curadoria do conteúdo, foi encontrado um álbum totalmente em inglês, preparado em 1982, mas nunca lançado. Entendia-se até aqui que essas gravações estavam perdidas. Agora não mais e podem ser ouvidas online.

No conteúdo disponibilizado junto as faixas do disco, o artista classificou o trabalho como uma gravação pop, mas fiel à sonoridade do momento. Um "pop tropical". Gil contou que não interferiu no conteúdo encontrado e que se ouviu, nos registros de 40 anos atrás, com a "voz fresquinha".

"O resgate foi feito através de uma fita cassete encontrada em algum lugar, em uma mixagem não definitiva, que não era única, mas foi a que sobrou. E não havia como mexer, estava tudo em dois canais da fita. Como foram 40 anos de um resultado feito com gosto, com dedicação, foi o produto que restou. Foi isso que a coleção decidiu acolher", diz Gil que chamou o produto de um "trabalho de arqueologia".

Em sua breve fala no lançamento da coleção digital, Gil diz que esta atento às modificações comandadas pelas inovações digitais. "Pedem para me pronunciar como as coisas andam pelo mundo, tenho me referido a essa grande revolução que vem ocorrendo que é o advento do cyberespaço, do mundo digital, que tem produzido transformações extraordinárias nas comunicações, nas relações sociais. É uma revolução enorme", disse.


Capa da fita cassete: canções 'perdidas' podem ser ouvidas pela primeira vez — Foto: Reprodução

Ao todo, são 140 histórias do artista —tratam-se de pequenas coleções com textos e imagens que incluem, por exemplo, sua entrada na Academia Brasileira de Letras e o período como ministro da Cultura — além de mais de 40.000 imagens, 140 vídeos e centenas de canções digitalizadas. Pais e professores também podem acessar planos de estudo baseados no legado do artista.

A ideia da preparação do conteúdo é ressaltar a presença de Gil nos diferentes âmbitos da música brasileira --- há, por exemplo, diversos registros de sua presença no rock e no pop. Valéria Gasparotti, gerente de projetos do Google Arts & Culture, disse em comunicado à imprensa que a retrospectiva inédita retrata a vida e obra do artista "símbolo da cultura brasileira e do homem cercado de muitos outros artistas, amigos e da família'.

"Aquele abraço"

Há ali, portanto, a celebração do artista completo: como capítulo incontornável da música brasileira, com suas 700 faixas gravadas de acordo com o Ecad. A mais ouvida delas, mostra o conteúdo, é “Aquele Abraço”, lançada no disco homônimo de 1969. São mais de 24 milhões de streamings online desta faixa.

Na página disponibilizada pelo Google, é possível ler trechos descritivos sobre a canção. Há, por exemplo, a explicação que a música se passa em uma quarta-feira de cinzas.

Fonte: O Globo


Postar um comentário

0 Comentários