Publicidade

Ato de vandalismo de empresário contra obra do DNIT completa um ano sem consequências ao autor

Jaime usou uma marreta para sua ação

Porto Velho, Rondônia - Na sexta-feira, 11, completou um ano o episódio que agitou a política de Vilhena e repercutiu em todo o país: de marreta em punho, o empresário Jaime Bagattoli destruiu uma mureta que havia sido erguida pelo DNIT num trecho da BR 364 que dá acesso ao seu posto de combustíveis.

Jaime, que é amigo pessoal do presidente da República, Jair Bolsonaro, foi na ocasião conversar com o Chefe do Executivo a respeito do ocorrido, e chegou até a trazer a solução, que seria a instalação de uma rotatória no local. Mas, nada disso aconteceu.A obra deveria ser concluída em 90 dias, e no entanto, ainda não saiu do papel, e o acesso ao posto de Jaime é feito normalmente, sem o obstáculo de concreto que, segundo ele, era ilegal.

o assunto, que na época virou piada em redes sociais, não tem nada de engraçado, pois deixa duas conclusões possíveis: se você é amigo do presidente pode fazer o que bem entender com o patrimônio da União (a mureta no caso era do DENIT) que não acontece nada, ou então que o governo federal não está nem um pouco preocupado com ações intempestivas tomada por cidadãos, ao arrepio da ordem pública.

Postar um comentário

0 Comentários