Após denúncia de prefeito interino, Vigilância Sanitária fiscaliza granja de Japonês para cumprimento de TAC em Vilhena


Macedo também usou a tribuna da Casa de Leis para comentar o caso

Porto Velho, RO - Fiscais da Vigilância Sanitária (VS) estiveram nessa quinta-feira, 28, na Granja Brasil, localizada no setor 13, área urbana de Vilhena, de propriedade do prefeito cassado e afastado do cargo, Eduardo Japonês (PSC)

Os servidores foram lá para fiscalizar o cumprimento do Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado entre a empresa e a prefeitura para cumprimento de normas e exigências do Código Sanitário Municipal.

Entrevistado pelo Extra de Rondônia, o coordenador da VS, Alfredo Guancino Júnior, disse que a fiscalização deve-se após denúncia recebida no órgão e destacou que nada irregular foi constatado na empresa, e a validade do TAC está sendo avaliada pela Procuradoria-Geral do Município. Guarino disse, ainda, que a fiscalização envolvendo alimentação de aves, produção de ovos e local de funcionamento é de responsabilidade do Idaron.

MACEDO VAI AO MP

Um dia após assumir o cargo de prefeito interino de Vilhena, Ronildo Macedo (Podemos) foi ao Ministério Público (MP) e formalizou denúncia acusando Japonês de usar o cargo para beneficiar a granja de sua propriedade.

De acordo com Macedo, Japonês ignorou manifestações da Procuradoria-Geral do Município e do próprio Poder Judiciário e, na condição de prefeito, autorizou prorrogação de prazo para o funcionamento da Granja Brasil, localizada no setor 13, na área urbana de Vilhena, contrariando exigências do Código Sanitário Municipal.

DETERMINAÇÃO EM SESSÃO

Ainda, na sessão extraordinária realizada na última quarta-feira, 27, Macedo, ao usar a tribuna da Casa de Leis, fez graves acusações contra Japonês, presente na sessão, e determinou aos procuradores do Município uma fiscalização rigorosa na granja Brasil.

Fonte: Extra de Rondônia

Postar um comentário

0 Comentários