Temporadas finais de séries de sucesso são a pedida do final de semana

 





Porto Velho, Rondônia – Está sem programa para o final de semana e sem paciência para escolher algo bom para maratonar nos stremings?

Então a dica são duas estreias recentes da Netflix, ambas com as temporadas de encerramento de séries de alto nível produzidas pela plataforma.

A primeira dica é a temporada final de Better Call Saul, que é um derivado para lá de bom da famosa Breaking Bad, considerada a melhor série de todos os tempos.

Quem acompanhou Better Call Saul ao longo das cinco primeiras temporadas assistiu a construção do personagem Saul Goodman, que era um coadjuvante em Breaking Bad, personificando um advogado totalmente sem escrúpulos que trabalha para traficantes.

Neste prequel a gente retorna no tempo em seis anos, e acompanha a trajetória do tal advogado, que na verdade se chama James Morgan “Jimmy” McGill, que começa como um causídico meio que “de porta de cadeia”, e evolui para o que se tornará no futuro.

A série conta com os mesmos roteiristas, diretores e produtores de Breaking Bad, tem a mesma pegada do original, inclusive com vários de seus personagens, caso de Tuco Salamanca, Gustavo Fring e Michael "Mike" Ehrmantraut, além de outros novos integrantes, muitos deles fascinantes.

Esta sexta temporada foi lançada pela plataforma na semana passada, e já está com três episódios disponíveis, de um total de 13.

A temporada será exibida em dois blocos, com estreias entre 19 de abril e 24 de maio, e de 12 de julho a 16 de agosto, com um episódio por semana, exceto na estreia, ocasião em que saíram o primeiro e o segundo de uma vez só.

Se você já acompanha a série, a pedida é continuar seguindo, mas se não conhece, aproveite o final de semana e comece a maratona.
 


A outra boa estreia da Netflix aconteceu nesta sexta-feira 29, e é a quarta e última temporada de Ozark.

Esta série conta a história da família Bird, que se envolve com um cartel de drogas mexicano, promovendo a lavagem do dinheiro dos traficantes.

Com belos cenários e personagens marcantes, a história é construída meio que da mesma forma de Breaking Bad, com gente originalmente de “bem” que acaba se metendo com criminosos perigosíssimos e isso muda a forma com que agem e se comportam.

O enredo, envolvente diga-se, se constrói em cima de Martin Bird, um contador sócio de uma empresa em Chicago que descobre que sua firma está lavando dinheiro do cartel dos Navarro, traficantes mexicanos, da pior forma possível: seu sócio está roubando os bandidos que descobrem o desfalque e vão atrás dos empresários para matar todo mundo.

Bom de lábia, ele escapa da sentença de morte, mas se vê obrigado a continuar prestando o serviço, agora num balneário turístico à beira de um lago, onde acaba se enredando com a criminalidade local, ao mesmo tempo em que vai ficando milionário.

Martin acaba metendo, meio que sem querer, mas às vezes de forma premedita, sua esposa e filhos no esquema, e todos vão ficando cada vez mais fascinados com aquele estilo de vida, apesar dos perigos e da violência que os cerca.

Essa temporada de desfecho encerra os arcos criados ao longo das três primeiras, mantendo o ritmo e o alto nível dos diálogos.

Foi lançada também em duas partes, cada uma com sete episódios, sendo que ontem (sexta-feira 29) a Netflix disponibilizou a parte final da série.

Outra ótima pedida para conhecer ou ver o desfecho, garantindo a diversão do final de semana.

Por - Mario Quevedo

Postar um comentário

1 Comentários