Cremero adverte médicos do Hospital Regional de Guajará-Mirim, RO, por internar pacientes em unidade interditada


Pronto Socorro está interditado parcialmente desde 27 de outubro do ano passado e não pode receber novas internações. Profissionais que mesmo assim realizarem o procedimento, podem responder por infração ética.

Porto Velho, RO - O Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero) publicou um alerta ético na última semana, advertindo médicos do Hospital Regional Perpétuo Socorro, de Guajará-Mirim (RO), que continuam realizando internações, mesmo com a unidade interditada parcialmente desde 27 de outubro do ano passado.

A advertência foi feita através de um ofício da 1º Promotoria de Justiça do município, que informa a proibição de médicos internarem pacientes, com risco dos profissionais responderem por infração ética, caso o façam.

À Rede Amazônica, o secretário municipal de Saúde de Guajará-Mirim afirmou que o Município está ciente das orientações e da interdição, e que por esse motivo, não está havendo descumprimento e nem internações.

Conforme o secretário, o Pronto Socorro está funcionando apenas para casos leves, com atendimento e procedimento de observação ou medicação. Em casos mais graves, os pacientes são encaminhados para Porto Velho.

Ainda conforme o secretário de saúde, um chamamento público para contratação de serviço médico hospitalar para internação, pronto socorro e cirurgias está sendo providenciado, ainda sem data definida. Dessa forma, será possível retirar temporariamente os atendimentos do Hospital Regional e realizar a reforma definitiva do local.

Interdição

O Hospital Regional de Guajará-Mirim (RO) foi parcialmente interditado em 27 de outubro de 2021 pelo Cremero, por tempo indeterminado, após fiscalizações apontarem que melhorias deveriam ser feitas nos setores de:

raio-X
ambulâncias
medicação
estrutura de internação
recursos humanos
escala de médicos e servidores de maneira geral.

Segundo o diretor de fiscalização do conselho, Lucas Levi Sobral, desde 2020 o Cremero fiscaliza o hospital e aponta irregularidades, sendo três vistorias realizadas somente em 2021.

Fonte: G1/RO


Postar um comentário

0 Comentários