Rocha, Cassol, Rogério, Léo, Hildon, Confúcio e Anselmo: dos prováveis nomes ao governo, apenas dois estão confirmados

O único nome da esquerda que já está postado é Anselmo de Jesus, do PT. Afora esse grupo, não apareceu ainda nada de novo na corrida pelo governo

Porto Velho, RO - Se a eleição ao Governo fosse hoje, apenas dois nomes estariam na disputa: o do atual governador Marcos Rocha e o do ex-deputado federal Anselmo de Jesus.

Mas como ainda há um longo tempo para que se formem novas frentes, o quadro vai mudar muito, até o registro definitivo de candidaturas. O terceiro, potencialmente entre os que teriam mais chances, o senador Marcos Rogério, ainda não fala como candidato e nem age como candidato.

Neste momento, o que se ouve com maior intensidade é que ele estará, como ministro, na equipe do presidente Bolsonaro, a partir do final de março. Até que haja uma decisão final sobre essa possibilidade, a candidatura de Marcos Rogério continuará sendo quase um mistério.

A primeira mudança pode vir essa semana ainda, quando é muito provável que o STF decida definitivamente a questão que envolve o ex-governador e ex-senador Ivo Cassol. A tendência é de que ele seja favorecido e, então, liberado para a disputa.

Tão logo isso ocorra, Cassol oficializa seu nome na disputa. Ele já teria definido seu vice, embora isso ainda seja segredo de Estado. O terceiro nome na corrida pelo Palácio Rio Madeira/CPA é o de Léo Moraes.

O jovem parlamentar já avisou que não disputa a reeleição para a Câmara Federal de jeito nenhum. Seu plano A é concorrer ao governo de Rondônia e o Plano B é entrar na briga pela única cadeira ao Senado. Decisão só no final de março.

Já Hildon Chaves tem tudo para concorrer à cadeira de Marcos Rocha, mas esse não seria seu plano atual. Hildon projeta, ao menos até agora, ficar onde está, para realizar em Porto Velho todos os projetos que tem em mente e sair consagrado, para novos rumos no futuro.

E Confúcio Moura? Ele sempre espera até a última hora para se definir. Hoje não é candidato, mas amanhã pode ser. O único nome da esquerda que já está postado é Anselmo de Jesus, do PT. Afora esse grupo, não apareceu ainda nada de novo na corrida pelo governo.

E os vices? Em relação a Marcos Rocha, vários nomes são cotados, mas ele não dá um pio sobre o assunto. A mais recente possibilidade, destacada pelo site Rondoniagora, muito ligado à Prefeitura da Capital, é de que o sonho de Rocha para a parceria de chapa chama-se Ieda Chaves.

Ivo Cassol já teria escolhido seu vice, que viria de Porto Velho, mas o nome é mantido em total segredo. Marcos Rogério, se candidato, também poderia convidar a primeira dama da Capital, que está em alta entre o povão.

Léo Moraes ainda teria muitas conversas com aliados, antes de decidir. Confúcio Moura e seu grupo ainda não pensaram no assunto, já que ele mesmo está indeciso em relação a uma candidatura. Anselmo de Jesus buscaria seu parceiro entre os partidos de esquerda ou no próprio PT.

Um nome como o de Ramon Cujuí não poderia ser descartado. Por enquanto, contudo, tudo é possibilidade e elucubração. Dentro de um mês e meio é que o quadro deve começar a ter mais clareza. Até lá, apenas especulações.

Fonte: Sérgio Pires

Postar um comentário

0 Comentários