Adelino Follador participa de Audiência Pública para privatização da BR- 364

O Projeto prevê sete pontos de pedágio ao longo do trecho

Porto Velho, RO - Na sexta-feira (11), em Porto Velho, o deputado Adelino Follador (União Brasil) participou da Audiência Pública que discutiu a privatização da BR-364, no perímetro do Estado de Rondônia, de Vilhena a Porto Velho, uma extensão de 729 km, passando por 18 municípios, com 7 praças de pedágio, e concessão para 30 anos.

Os investimentos previstos são de R$ 3,2 bilhões em custos operacionais e de R$ 4 bilhões em investimentos, com a construção de 113 km de duplicações, 194 km de 3ª faixa, 64 dispositivos e interseções (novos e remodelados), 6 km de vias marginais, 20 passarelas de pedestres e 7 travessias em nível, 22 OAE (novas e ampliações), contorno norte de Porto Velho 42 km e 3 pontos de parada para caminhoneiros.

Inicialmente, no primeiro ano de concessão serão realizados os trabalhos de recuperação e manutenção para diminuir problemas que representam riscos e desconforto aos usuários, e também a recomposição da sinalização vertical e horizontal.

No plano de ampliação e melhorias, o Projeto prevê duplicações concentradas entre Presidente Médici e Jaru, contorno em Ji-Paraná com implantação da 3ª faixa, a travessia urbana em Ouro Preto do Oeste, com implantação das marginais, além da duplicação. Contorno norte de Porto Velho e acesso ao novo Porto.

A operação de atendimento ao usuário é de Padrão A, com o Centro de Controle Operacional (CCO), contendo sistema de pesagem em movimento, 100% de cobertura de câmeras (CFTV), detecção automática de acidentes (DAI), Wi-fi e aplicativo para chamadas de emergência, também o Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU), com ambulância 15 minutos, guincho leve 40 minutos, e guincho pesado 75 minutos.

As praças de pedágio serão instaladas em Porto Velho, Alto Paraíso/Cujubim, Ariquemes, Ouro Preto do Oeste, Presidente Médici, e duas em Pimenta Bueno.

O deputado Adelino aproveitou o momento para cobrar atenção a BR-421, que segundo ele, estão fazendo um trabalho de tapa buracos muito lento e de má qualidade, propondo que, o ideal é o recapeamento, pois os buracos chegaram a uma proporção que não têm mais recuperação.

“Eu acho muito importante essa privatização, apesar de onerar os usuários, os benefícios justificam, pois os prejuízos com as estradas ruins superam, e o Estado, já está provado que não consegue manter, porém, não teve apresentação sobre benefícios para Ariquemes, especialmente no trevo da BR-364 com BR-421, que é uma vergonha, um perigo constante.

Já existe um movimento grande por interligar vários municípios e há uma previsão da construção da BR que liga Rondônia a Mato Grosso, passando por Machadinho, que também liga ao trevo de Ariquemes, é necessário que se inclua nesse Projeto a construção de viaduto naquele trevo, por isso, deixo o meu apelo que se faça um estudo e inclua essa obra, senão, teremos sérios problemas ali”. Concluiu Adelino.

A Audiência contou com as participações de Leonardo Cavalcante, que presidiu a sessão, Marcelo Fonseca, presidente da Audiência Pública, Henrique Carvalho do BNDS, e Stephane Quebaud, representante do Ministério da Infraestrutura.


Texto e foto: Assessoria

Postar um comentário

0 Comentários