Publicidade

Diretoria do Corinthians nega conversas por Cavani, mas avisa: 'Tudo é possível'


Roberto de Andrade e Alessandro afirmaram que não fizeram contato pelo atacante do Manchester United e prometeram a chegada de um zagueiro e de um camisa 9

Porto Velho, RO - O gerente de futebol do Corinthians, Roberto de Andrade, negou que o clube tenha aberto conversas com o estafe do atacante uruguaio Edinson Cavani, do Manchester United. O dirigente foi cauteloso quanto ao tema, mas usou o exemplo da contratação de Willian no meio do ano para avisar que o clube está atento ao mercado e "tudo é possível", sem descartar grandes reforços.

"Nós nos tivemos nenhum contato com eles. Nem Cavani nem Suárez. Não sabemos se eles têm vontade de jogar no Brasil. Não sei de onde surgiu isso", afirmou Roberto de Andrade, antes de fazer uma ponderação.

"A gente não pode subestimar o Corinthians. Todos falaram que era impossível trazer o Willian de volta e as coisas deram certo. Mas a gente não descarta nada. Tudo é possível. Amanhã pode ter uma conversa. A gente monitora grandes nomes. Estão em final de contrato, se torna mais fácil".

Roberto de Andrade e o gerente de futebol, Alessandro Nunes, deram coletiva nesta terça-feira. Foi a primeira entrevista com a presença de jornalistas no CT Joaquim Grava desde o início da pandemia de covid-19 no País, em março de 2020.

Na coletiva, os dirigentes fizeram um balanço da temporada, que terminou sem títulos para o Corinthians, mas falaram mais sobre o futuro do clube, incluindo a busca por reforços para 2022. Roberto de Andrade e Alessandro reforçaram que não há conversas com Cavani, mas afirmaram que o clube busca um camisa 9 e um zagueiro.

Atualmente, há três defensores no elenco: Gil e os jovens João Victor e Raul Gustavo. Os dirigentes prometeram montar um "time forte" para voltar a disputar títulos.

"Cavani é um atleta excepcional. A carreira diz por si. De total capacidade. Se houver essa oportunidade um dia vamos buscá-lo. Buscamos sim um atleta vencedor. Temos somente o Jô de camisa 9. Será uma temporada difícil, atípica, com quatro competições", justificou Alessandro.

"A gente sempre traça um perfil e muitas vezes não é o que encontramos. Não descartamos nenhuma possibilidade. Queremos um atleta que queira vestir a camisa do Corinthians com vontade, desejo e gana".

Certo é que Anderson Talisca, atualmente no futebol árabe, não se encaixa nesse perfil porque não é um camisa 9. Ele foi especulado no Corinthians, mas descartado pela diretoria. "É um atacante muito bom, mas o Corinthians quer um camisa 9. Não existe nada hoje e nem houve", garantiu Roberto de Andrade.


Fonte: Estadão 

Postar um comentário

0 Comentários