Publicidade

O DIA NA HISTÓRIA



BOM DIA 18 DE SETEMBRO!

COMEMORA-SE

Em Porto Velho: Dia Municipal do Tacacá

Dia dos Símbolos Nacionais. Dia Nacional da Televisão (Lei 10.255/2001). Dia Nacional de Conscientização e Incentivo ao Diagnóstico Precoce do Retinoblastoma.

Católicos lembram Santa Sofia, São Pânfilo de Cesaréia, São José de Cupertino.

RONDÔNIA

1946 – Promulgada a quarta Constituição Federal. Ela estabelece que o Território, criado em 1943, e instalado em 1944, teria elegeria um deputado federal - o eleito foi o ex-governador do Território Aluízio Pinheiro Ferreira. Só em 1978, última eleição do Território Federal, Rondônia elegeu dois deputados.

BRASIL

1946 - Nasce Joel Camargo, da seleção brasileira tricampeã em 1970, primeiro jogador negro a denunciar o racismo no futebol.

1950 — O jornalista Assis Chateaubriand inaugura TV Tupi em São Paulo, a 1ª emissora de TV do Brasil, integrando-a à rede dos Jornais e Diários Associados.

1969- A nova lei de segurança nacional institui a prisão perpétua e a pena de morte no Brasil.

2002 – Morre Mauro Ramos de Oliveira, campeão mundial em 1958 e capitão do Brasil no bicampeonato em 1962.

MUNDO

1499- Vasco da Gama, descobridor do caminho marítimo para as Índias, volta da Índia e entra triunfalmente em Lisboa.

1809 — É inaugurada a Royal Opera House em Londres.

1851 — Primeira publicação do The New-York Daily Times, que mais tarde se torna The New York Times.

1865- Acaba a guerra do Paraguai.

1977 — O satélite (EUA) Voyager 1 tira a primeira fotografia distante da Terra e da Lua juntas.

1997 — É adotada a Convenção sobre a Proibição de Minas Antipessoais.

1999- O inventor Percy Spencer é reconhecido no Hall da Fama pela criação do forno de micro-ondas.

FOTO DO DIA

Pela quarta vez, desde 2017, Porto Velho comemora o Dia Municipal do Tacacá (Lei 2455/17) patrimônio cultural de Porto Velho. Bebida de origem indígena, ganhou característica moderna com a inclusão do camarão como um dos ingredientes.

O folclorista Câmara Cascudo considerava o tacacá como “uma sopa indígena” preparada com um caldo amarelado, o “tucupi”, depois misturado a uma massa de goma de fazer tapioca, camarão, jambu, servido bem quente em cuias.

A bebida foi trazida para Porto Velho provavelmente pela vinda de muitos paraenses e amazonenses a partir da década de 1930.

Há quase 50 anos a “Banca da Dona Darli” na esquina da Rio Branco com a Gonçalves Dias, é ponto tradicional para muitos velhos e novos portovelhenses. Neste sábado a data será comemorada a partir das 17 horas no Mercado Cultural.

Por - Lúcio Albuquerque – jlucioac@gmail.com

Postar um comentário

0 Comentários