PMs à paisana são presos após acidente de trânsito e um deles chama sargento da guarnição de 'louca' em RO


Segundo boletim, durante atendimento da ocorrência houve resistência de um dos policiais à paisana, que tentou fugir e precisou ser algemado em Porto Velho. PM-RO diz que está adotando providências quanto ao caso.

Porto Velho, RO - Dois policiais militares à paisana receberam voz de prisão após se envolverem em um acidente de trânsito com um motorista de aplicativo, em Porto Velho. Durante o registro da ocorrência, na madrugada desta sexta-feira (29), um dos PMs detidos não queria entregar a pistola e chamou a sargento da guarnição de "louca".

De acordo com histórico do boletim, a ocorrência deu início depois que uma viatura da Polícia Militar (PM), com dois policiais homens e uma policial mulher, foi enviada para atender uma ocorrência em um bar do bairro Aeroclube.

Ao chegarem no local informado, os militares encontraram um motorista de aplicativo e o homem começou a contar que estava com seu carro estacionado na frente do bar, aguardando clientes, quando um PM à paisana saiu do estabelecimento, entrou num carro e engatou marcha à ré.

O veículo do policial então atingiu o carro do motorista de aplicativo e, mesmo com a encostada, ele não parou e continuou acelerando, quebrando assim a lanterna do carro de transporte de passageiros.

Ao ver seu carro danificado, o motorista de aplicativo começou a gritar com o homem para ele parar o veículo. Segundo ele, nesse momento o policial à paisana desceu do automóvel e, cambaleando, passou a discutir e levantar a camisa para mostrar que na cintura havia uma pistola do acervo da PM.

O motorista de aplicativo ainda disse que durante a discussão entre eles, o policial pegou a arma, mas não apontou, fazendo ele se sentir ameaçado.

Enquanto a discussão entre os dois motoristas continuava, um segundo PM à paisana saiu do bar e também começou a xingar o motorista de aplicativo.

Foi então que outros motorista de APPs, ao perceberem a confusão, se aproximaram e cercaram os policiais à paisana para que eles não saíssem do local até a chegada da guarnição da PM.

Após ouvir o relato do motorista de aplicativo, a guarnição da PM foi conversar com os dois policiais à paisana que tinham saído do bar. Um deles se manteve calmo e acatou as ordens da sargento da guarnição, entregando sua arma, conforme protocolo.

Já o outro PM à paisana, segundo boletim, desobedeceu a ordem de entregar o armamento a sargento e passou a discutir e alterar a voz com ela, proferindo palavras como “louca” e “deixa de ser doida”.

Após a desobediência, a sargento conseguiu convencer o policial a entregar a arma. Mas já dentro da viatura, o policial que estava alterado abriu a porta e caminhou até o estacionamento do bar, onde estava a motocicleta dele. Diante da tentativa de fuga, a guarnição precisou algemar o colega da corporação.

De acordo com boletim de ocorrência, os dois policiais à paisana receberam voz de prisão e foram encaminhado à Central de Flagrantes de Porto Velho.

Aos policiais à paisana foram oferecidos testes de bafômetro, pois eles tinham sinais de embriaguez, como sonolência, olhos vermelhos e dispersão.

Fonte: G1/RO


Postar um comentário

0 Comentários