Bruno e Dom foram mortos com tiros de arma de caça, diz perícia



Porto Velho, Rondônia - Perícia da Polícia Federal (PF) indicou que o jornalista britânico Dom Phillips e o indigenista brasileiro Bruno Pereira foram mortos com tiros de uma arma de caça. Os exames também confirmaram que parte dos restos mortais são mesmo de Bruno. A identificação de parte do cadáver de Dom já havia sido feita, por meio da arcada dentária, conforme antecipou o R7 na sexta-feira (17).

De acordo com nota divulgada pela Polícia Federal, Bruno foi atingido por dois disparos no tórax e no abdômen e outro no rosto. O jornalista foi vítima de um disparo na região entre o tórax e o abdômen.

"Os trabalhos dos peritos do Instituto Nacional de Criminalística, nos próximos dias, serão concentrados nos exames de genética forense, antropologia forense e métodos complementares de medicina legal, para identificação completa dos remanescentes e compreensão da dinâmica dos eventos", diz a nota.

Prisões

Três pessoas já foram presas pelo crime — dois irmãos, Amarildo dos Santos, mais conhecido como "Pelado", e Osoney da Costa, e Jeferson da Silva Lima, conhecido como "Pelado da Dinha". Lima se entregou neste sábado (18). Ele era considerado foragido pela polícia, que investiga a participação dele nos crimes.

Amarildo teria confessado que matou o indigenista e o jornalista, esquartejou os corpos e ateou fogo neles com a ajuda do irmão. Ele indicou à polícia o local onde os cadáveres teriam sido enterrados.

Fonte – R7

Postar um comentário

0 Comentários