Homem é morto após abordagem da PRF em Sergipe


Porto Velho, Rondônia - Um homem morreu no começo da tarde desta quarta-feira (25) após uma abordagem violenta de policiais rodoviários federais, no município de Umbaúba, no sul de Sergipe.

Vídeos de moradores flagraram o momento em que policiais prenderam a vítima no porta-malas do carro e populares alertavam que ele poderia morrer sufocado com o gás lacrimogênio.

Identificado como Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, o homem tinha esquizofrenia. Um sobrinho afirmou que ele foi abordado pelos policiais enquanto pilotava uma motocicleta. Sua morte foi confirmada pela gerente do hospital do município, Cecília Bruneli, segundo o G1.

“Eu estava próximo e vi tudo. Informei aos agentes que o meu tio tinha transtorno mental. Eles pediram para que ele levantasse as mãos e encontraram no bolso dele cartelas de medicamentos”, disse Wallyson de Jesus ao G1. “Meu tio ficou nervoso e perguntou o que tinha feito. Eu pedi que ele se acalmasse e que me ouvisse”.

Ainda assim, os policiais fizeram o uso de spray de pimenta e o colocaram dentro do porta malas da viatura. “Eles jogaram um tipo de gás dentro da mala, foram para delegacia, mas meu tio estava desacordado. Diante disso, os policiais levaram ele para o hospital, mas já era tarde”.

Genivaldo era casado há 17 anos e tinha um filho de 7, conforme contou a esposa Fabiana ao jornal A8SE. Segundo ela, ele estava afastado do trabalho e o diagnóstico da doença foi obtido há cerca de 20 anos. Ela afirma que os policiais não detalharam por que teriam prendido o marido. A família registrou um Boletim de Ocorrência na delegacia da cidade.

A Polícia Civil afirmou que registrou o caso e fez coleta de alguns depoimentos, que já foram prestados por familiares e testemunhas na delegacia da cidade.

Em nota, a Polícia Rodoviária Federal informou que o homem “resistiu ativamente a abordagem de uma equipe PRF” durante uma ação policial realizada na BR-101. Eles argumentam que a vítima estava agressiva e por isso foram empregadas técnicas de imobilização e “instrumentos de menor potencial ofensivo para sua contenção”.

Eles afirmam que o homem teria passado mal quando foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil. A equipe registrou a ocorrência na Polícia Judiciária, que irá apurar o caso.

Postar um comentário

0 Comentários