ESPAÇO ABERTO: Candidatos usam redes sociais para tentar ficar imunes às boatarias


Por: Cicero Moura

PALAVRA

Porto Velho, RO - Diante de todo o cenário político incerto que norteia a eleição em Rondônia, algumas pontuações merecem destaque. O governador Marcos Rocha, por exemplo, fez um convite em público e não pode voltar atrás.

PALAVRA 2

O governador afirmou para uma deputada que se ela quisesse, a vaga de candidata ao senado seria dela. Isso aconteceu em meio a um auditório lotado e com toda a imprensa de Porto Velho presente, então não teria como mudar o que já estava feito.

ENTENDIMENTO

Uso esse exemplo para contextualizar todas as possibilidades que envolvem a eleição. Quem vem afirmando uma coisa hoje, pode chegar aos 49 do segundo tempo (no caso 05 de agosto) com um novo pensamento.

BURBURINHO

Diante de tanto disse me disse, o deputado Léo Moraes fez uma Live ontem a tarde reforçando sua pré-candidatura. Afirmou que não mudou de partido e segue firme com seu projeto político. Pediu a seus apoiadores para não cair nas conversas de fake news.

COMPOSIÇÃO

Aliás, dois nomes estariam sendo cogitados para vice de Léo, que já está fechado com Jaqueline Cassol para o senado. Seriam da empresária Ana Gurkacz e do ex-prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires.

MAIS OPÇÕES

O ex-governador Daniel Pereira, que é do partido Solidariedade, é outro que já anunciou publicamente sua candidatura ao governo. Daniel aposta que pode compor com um ou mais partidos, entre os 9 de esquerda que lançarão candidatos.

CHICLÉ

Pereira argumenta que em 2022 haverá uma campanha com debates locais e demandas específicas. Ele não acredita que estar ligado ao Presidente possa ser um diferencial como aconteceu em 2018.

AINDA NA ESQUERDA

Nessa sugestão de união da esquerda, dois partidos, provavelmente, não comporiam com o Solidariedade de Daniel tendo ele como candidato a governador. O PT, que já anunciou candidatura própria ao governo, e também o PSB.

MAJORITÁRIA

O PSB do deputado federal Mauro Nazif recebeu de braços abertos o advogado Vinicius Miguel, outro eventual postulante ao governo. Nazif teria garantido à Miguel que ele pode concorrer ao governo pela legenda.

OPÇÃO

A coligação até poderia ocorrer se Daniel optasse pela disputa ao senado, abrindo mão do governo para Vinicius. A parceria poderia ser bem interessante, até porque o próprio PSB tem outra grande liderança em seus quadros.

VICE

O ex-prefeito de Ji-Paraná, Jesualdo Pires, está filiado ao Partido Socialista Brasileiro. Jesualdo é candidato a deputado Federal pelo PSB, mas sem dúvida nenhuma tem bagagem para entrar em qualquer chapa como candidato à vice-governador.

DESAFIO

Ainda confiante na possibilidade de disputar o senado pelo PL, o empresário Jaime Bagatolli já antecipou publicamente que vai colocar seu nome na convenção.

CAMPANHA

Lideranças de Direita, inclusive, divulgaram em redes sociais um banner de apoio à Bagatolli. Lideranças do agronegócio teriam pedido para ele não sair do PL e encarar à convenção, deixando que os filiados escolham o melhor nome para compor a chapa com Marcos Rogério.

NOMINATA

O presidente regional do MDB, deputado Lúcio Mosquini, está confiante na nominata que conseguiu formar para disputar as oito vagas para à Câmara Federal. Além do próprio Mosquini, que tenta seu terceiro mandato, a lista tem nomes bem conhecidos.

NOMINATA 2

Estarão na disputa pelo MDB, o ex-prefeito de Ariquemes, delegado Thiago Flores e o ex-deputado e empresário Tiziu Jidalias. Também vão para a disputa o Professor Uberlando Tiburtino, reitor do Ifro e a professora e ex-secretária de Educação Gláucia Negreiros.

NOMINATA 3

Na relação dos emedebistas que concorrerão à Assembleia Legislativa, estão o deputado, Jean Oliveira, Glaucione Rodrigues, ex-prefeita de Cacoal e Isaú Negrão, filho do prefeito de Ji-Paraná, Isaú Fonseca.

OBJETIVO

Mosquini confia na possibilidade de eleger dois deputados federais e, pelo menos, três deputados estaduais.

OUTRAS FORMAÇÕES

Outra coisa curiosa desta eleição será o lançamento de nomes de parentes de políticos, além do que já se conhece. Não devem passar de uma esquina para outra, mas é uma boa jogada de marketing para ingressar na política.

ANONIMATO

Se para quem já está no circuito a eleição não vai ser fácil, imagina então para os aventureiros que às vezes não são conhecidos nem na rua onde moram. Vamos aguardar e ver o espetáculo deprimente que se avizinha.

Por: Cicero Moura - Rondôniaovivo


Postar um comentário

0 Comentários