ELEIÇÕES 2022 - Com tendência de afunilamento das esquerdas e mais racha na direita, Rondônia neste momento tem sete pré-candidatos ao governo


Porto Velho, RO - Com os prazos de definições e alianças se estreitando, aumenta a movimentação de bastidores no sentido de consolidar as candidaturas em geral, e as ao Executivo em particular.

Neste momento há sete pré-candidatos ao governo declarados, mas é muito remota a possibilidade de haver tanta gente disputando o comando do Estado em outubro próximo.

A tendência é que grupos se aliem, mas hoje essa movimentação parece ser mais viável entre os times que estão à esquerda no espectro político, do que entre a chamada direita, onde a conciliação tende a ser mais difícil dada a ausência de diálogo entre protagonistas.

Aliás, atualemente anda mais fácil o grupo que apoia Jair Bolsonaro, hoje rachado ao meio em torno de apoiadores de Marcos Rogério e Marcos Rocha, se partir ainda mais com a incógnita chamada Jaime Bagatolli, que não fecha com nenhum desses polos e não descarta a possibilidade de uma candidatura ao governo.

Nessa banda também transita Léo Moraes, que muitos garantem não sustentar a pré-candidatura ao governo até as convenções.

Por outro lado, os "esquerdistas" Daniel Pereira, Vinícius Miguel e Alselmo de Jesus já vêm conversando, com a tendência de aliança sendo cada vez mais previsível.

Correndo por fora, porém com expectativa de ficar com a esquerda, está o sétimo candidato, que é por enquanto um ilustre desconhecido no processo.



Veja quem são os postulantes:

MARCOS ROCHA: Militar de carreira na PM, ele é coronel e logo em sua primeira participação em eleições como candidato acabou sendo eleito governador de Rondônia. Foi secretário de Segurança Pública no governo anterior, e vem conduzindo sua gestão de forma mais técnica e focada na gestão controlada de recursos.

O governador foi uma surpresa das eleições passadas e agora enfrenta o desafio de se manter no cargo mostrando que seu sucesso nas urnas há quatro ano não se tratou de um fenômeno isolado.

MARCOS ROGÉRIO: O senador está no quarto mandato legislativo, tendo passado pela Câmara Municipal de Ji-Paraná e Câmara dos Deputados antes de chegar onde está.

Jornalista e advogado, ele obteve projeção nacional duas vezes na carreira, primeiro como deputado federal, quando foi o relator do processo que resultou no afastamento de Eduardo Cunha, então presidente da Câmara dos Deputados, e no ano passado quando foi o líder da “tropa de choque” de Bolsonaro na CPI da Covid.

LÉO MORAES: Advogado, já exerceu mandatos na Câmara Municipal de Porto Velho, Assembleia Legislativa e agora é deputado federal. Também foi candidato a prefeito da capital, e vem de uma família tradicional da política rondoniense.

Moraes tem se destacado na bancada federal do Estado e é considerado um dos parlamentares mais influentes em Brasília entre os deputados da Região Norte, compondo um seleto grupo de projeção nos Congresso Nacional.

VINÍCIUS MIGUEL: Professor, ele é o único do grupo que ainda não exerceu mandato eletivo, mas de uns anos para cá despontou no cenário político rondoniense, concorrendo a governador do Estado e prefeito de Porto Velho, sempre chamando a atenção do eleitorado.

Este ano chegou a ter uma breve passagem à frente da secretaria municipal de agricultura de Porto Velho, mas teve pouco tempo para mostrar serviço. É líder entre a juventude e gera expectativa de que conseguirá ser destaque no meio político estadual.

DIDAS CORDEIRO: Jornalista Didas Cordeiro, da Rádio Comunitária Transamazônica de Porto Velho, nascido na capital portovelhense, é radiojornalista há 12 anos e deficiente visual. Foi presidente da Cooperativa dos Fotógrafos no estado de Rondônia.

Foi delegado de duas Conferências Municipais de Saúde e duas Conferências Estaduais de Saúde e sempre trabalhou em prol da comunidade. Didas ainda concorreu ao cargo de vereador em 2020 na campanha municipal de Porto Velho.

ANSELMO DE JESUS: Oriundo dos movimentos sociais, tendo como base os movimentos de pequenos agricultores, ele já foi deputado federal por três mandatos e também secretário de Agricultura do Estado.

Tem bom histórico de ações voltadas ao setor com o qual mais se identifica, e é um dos integrantes mais tradicionais da esquerda rondoniense, sendo um representante autêntico deste setor da sociedade.

DANIEL PEREIRA: Professor e advogado, exerceu mandatos legislativo na Câmara Municipal de Cerejeiras e na Assembleia Legislativa, sendo também vice-governador e governador de Rondônia na gestão anterior a atual.

Tem histórico de participação ativa e destacada nos movimentos sindicais do Estado, particularmente aos ligados ao funcionalismo público, e depois de ter deixado o governo atuou com superintendente do SEBRAE de Rondônia.

Texto - Mario Quevedo (Com informações do Extra de Rondônia e da coluna Espaço Aberto)

Postar um comentário

0 Comentários