Rio2C: Edição deste ano destaca 'slow content' e consumo inteligente


Foram adicionadas ao evento as áreas da educação e mercado literário, arquitetura, design, moda e gastronomia

Porto Velho, RO - O maior encontro voltado à inovação e criatividade na América Latina, o Rio Creative Conference (Rio2C) volta à Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, em abril. Entre os dias 26 e 01 de maio, o evento aposta no slow content — conceito que propõe que criadores e consumidores de informações diminuam a velocidade, para gerar um conteúdo com mais qualidade, propósito e menos excessos — e no consumo inteligente como ponto de partida das discussões da próxima edição.

— Estamos vivendo em um momento de aceleração absurda e acho que o que está por trás dessa polarização crescente no mundo vem da forma com que as pessoas estão consumindo conteúdo e se informando. — explica o criador de diretor do Rio2C, Rafael Lazarini. — A gente sabe o que está de fato consumindo como informação? Qual a procedência dessa informação? Qual a qualidade do que estamos consumindo? Por isso, é uma discussão extremamente relevante. Não estamos preocupados em discutir a tecnologia propriamente dita, a velocidade das coisas, mas em como ela impacta a sociedade.

11 palcos

Esse ano, a estrutura estará dividida em 11 palcos separados por assuntos para que o público possa ir atrás de seus interesses específicos. Em 2019, o Rio2C investiu numa troca multidisciplinar entre profissionais e entusiastas dos segmentos de tecnologia, ciência, audiovisual, mídia, marcas, música e games. Já na nova edição, foram adicionadas as áreas da educação e mercado literário, arquitetura, design, moda e gastronomia.

O evento, porém, continua baseado em três eixos principais: conferência, mercado e festival, os dois primeiros direcionados principalmente para profissionais e amantes da indústria criativa. Enquanto isso, o último oferece experiências destinadas a estudantes, universitários e jovens recém-formados em busca de inspiração, informação e relacionamento.

— Desde a concepção do projeto, o objetivo era criar algo que fosse transversal e abrangesse a indústria criativa brasileira como um todo, não só para o público final, mas também um evento de mercado. A gente enxerga que, cada vez mais, está tudo conectado — expõe Rafael.

Ingressos diários

Outra novidade são os ingressos diários. Antes era apenas possível comprar um passaporte para todos os dias de evento.

— Estamos muito animados com as perspectivas, as pessoas estão precisando desse encontro. Os bons projetos, que tem relevância e preocupação com a experiência do consumidor, vão ter um destaque nessa volta. Temos uma quantidade enorme de projetos inscritos para as nossas rodadas de negócio e vimos uma vontade e receptividade dos plestrantes e marcas patrocinadoras — diz Rafael.


GlobalStage – On2Off: será um palco com apresentações das tendências que irão impactar o nosso futuro. Serão palestras e debates com renomados especialistas da cena global de inovação e criatividade, dividindo espaço com grandes nomes brasileiros do setor.

Brainspace: dedicado a temas únicos sobre cérebro, criatividade e descobertas incríveis que surpreendem o público, o Brainspace é a ciência transformada em entretenimento.

House of Brands: é o palco para quem quer mergulhar no universo das marcas, conteúdo, marketing, mídia, publicidade e propaganda.

Storyvillage: é o espaço que reverencia a arte da criação, da narrativa, dos roteiros e da composição.

Future U: abordará temáticas e tendências sobre o futuro do trabalho, das empresas e da educação, com foco especial no idadismo, empreendedorismo, educação continuada, novas habilidades e profissões do futuro.

Biodom: abordará as tendências e desafios urgentes de fatores sociais e ambientais que podem impactar o futuro do planeta. Temas como a agenda ESG, meio ambiente, energia, diversidade, comunidades e cidades do futuro serão apresentados por grandes especialistas desse universo.

New Frontier: traz o futuro para o presente, analisando quem está por trás da tecnologia, mas também como essa mesma tecnologia impacta os seres humanos, assim como os movimentos disruptivos que mudarão o mundo como o conhecemos.

Cyberstage: vai celebrar e dissecar a indústria de games e eSports reunindo os principais players desse universo para falar de temas como metaverso, criptomoedas, nfts, realidade aumentada, entre outros.

Screening Room: debaterá e estimulará a reflexão sobre o universo do audiovisual, a partir de temas como plataformas de streaming, alternativas de financiamento e coprodução, entre outros.

Soundbeats
: discute o show business da música com temas atuais e urgentes como streaming, lives, direito autoral, empresariamento, turnês e festivais

Fonte: O Globo


Postar um comentário

0 Comentários