Governo de Rondônia garante suporte imediato às famílias de Cacoal após enchentes de rios da região



Porto Velho, RO -
 Segundo a Defesa Civil, cerca de 300 famílias de Cacoal foram afetadas pelas cheias dos rios da região

A forte chuva que caiu em Cacoal nessa sexta-feira (18), desde o início da madrugada elevaram o nível dos rios Pirarara, Salgadinho, Tamarupá, Riozinho e Machado, causando diversos pontos de alagamentos no município. Segundo a Defesa Civil, cerca de 300 famílias foram afetadas pelas cheias.



O Governo de Rondônia tem buscado oferecer todo o suporte ao município para atender as famílias atingidas. Na manhã deste sábado (19), o governador de Rondônia, Marcos Rocha, se solidarizou com o município de Cacoal e todas as famílias e pessoas afetadas pela enchente dos rios e reforçou o apoio do Governo de Rondônia.

“O foco é proteger e cuidar da população, como já fizemos em casos similares neste ano, com ações imediatas de suporte aos municípios. Desde os primeiros registros de alagamento, foi definido o suporte e socorros imediatos a todas às famílias da região.

O Governo do Estado estará enviando cestas básicas, kits de higiene pessoal, kits de limpeza doméstica e água mineral para ajudar as famílias desabrigadas. Além disso, já está em ação uma força-tarefa para analisar situações de alerta no Estado e buscar sempre o máximo de antecipação possível. Agradeço aos rondonienses que estão agindo, inclusive empresários da região. Estamos atentos”, reforçou o governador.

Entre os voluntários estão os servidores da Polícia Civil (PC), que têm contribuído para o transporte das doações, profissionais da Educação e de diversas áreas. Os policiais civis estão entre os que ajudavam a levar as doações da Semast à Escola Luiz Lenzi. Equipes da Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas) também acompanharam e colaboraram com as ações ao longo de todo o dia.

Durante os períodos críticos de alagamento, o resgate de pessoas atingidas pelas águas e a manutenção da Segurança Pública foram o foco do Poder Executivo, por meio do Corpo de Bombeiros Militar (CBMRO) e da Polícia Militar (PM).

O prefeito de Cacoal, Adailton Fúria, disse que “para ter ideia da proporção, as casas que estavam num raio de 50 a 70 metros do rio Pirarara, o pessoal perdeu tudo, é muita gente! Porém, muitas delas estão alojadas na casa de parentes e amigos e vão chegando aos poucos na base que foi montada.

Toda hora vai chegando gente. Hoje (19) a Defesa Civil fez uma estimativa de 300 famílias desabrigadas, mas esse número pode aumentar devido às pessoas que vão chegando”.

PONTO DE APOIO


Nível elevado dos rios causou diversos pontos de alagamentos no município

O ponto de apoio montado para atender as pessoas afetadas pelas enchentes na cidade é a Escola Municipal Luiz Lenzi, no Bairro Floresta; uma das regiões mais afetadas pela cheia do rio Pirarara. Além disso, na sede da Secretaria Municipal de Ação Social (Semast), equipes de servidores municipais, estaduais e voluntários tem recebido e organizado a distribuição de doações para às famílias, desde alimentação, água, calçados, roupas, colchões, roupas de camas, produtos de higiene, entre outras doações.

MEDIDAS

“Militares da folga, bem como os policiais em escala de serviço foram acionados. As ações são concentrados de maneira primária às atividades de segurança pública, quer seja socorrendo alguém que esteja em iminente perigo e também evitando que oportunistas se apropriem dos bens de quem está sendo afetado.

A Polícia Militar atua garantindo a segurança dos que estão trabalhando e principalmente garantindo que os outros serviços funcionem normalmente. Nessa sexta-feira, ficamos muito concentrados com a fluidez no trânsito, pois a única via que atravessava de maneira parcial a cidade é a BR-364”, ressaltou o comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar em Cacoal, major João Rodrigues Matos.


Governo de Rondônia orientou de imediato ações de apoio às famílias cacoalenses atingidas

Já o Corpo de Bombeiros atuou principalmente na segurança das pessoas afetadas pelas cheias. Mais de 20 bombeiros militares atuaram no resgate de vítimas e na evacuação de pessoas de áreas alagadas. “Nós tivemos 28 chamadas e desse total, retiramos aproximadamente 100 pessoas da área de risco.

Nossa responsabilidade no momento é justamente esse, retirar as pessoas e famílias destas áreas de risco, conduzindo-as para abrigos ou casa de amigos e familiares. Cerca de 30 famílias foram realocadas pelo Corpo de Bombeiros Militar”, conta o comandante do 4º Grupamento, major Atenor Barreto.
 



Postar um comentário

0 Comentários