Escola Petrônio Barcelos vai ser transformada em Colégio Militar do Corpo de Bombeiros de Rondônia

Secretaria da Educação está adotando medidas administrativas com vistas ao pleno funcionamento da escola

Porto Velho, RO - Dentro de 90 dias, a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Petrônio Barcelos, no Bairro Nova Porto Velho, passará a se chamar Colégio Militar D. Pedro II, conforme o Decreto nº 26.896, assinado em 10 de fevereiro pelo Governo de Rondônia.

Essa mudança está fundamentada no parágrafo único do art. 1° da Lei n° 5.199, de 16 de dezembro de 2021. A Secretaria Estadual de Educação (Seduc) está adotando medidas administrativas com vistas ao pleno funcionamento da escola.

O major bombeiro, Roberto Rodrigues Leal, designado primeiro diretor, conduzirá a transição nas duas escolas recém-criadas; a outra fica em Vilhena, na divisa de Rondônia com Mato Grosso, a 702 quilômetros de Porto Velho. Ele é atualmente diretor de educação do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia (CBMRO).

Atualmente, conforme prevê o decreto governamental em seu art. 4°, o Colégio Militar do Corpo de Bombeiros Dom Pedro II terá estrutura orgânica condizente com as escolas da rede pública; seu regimento interno será próprio, e o projeto político-pedagógico diferenciado, semelhantes às diretrizes dos Colégios Tiradentes da Polícia Militar.

A escola será instalada sob comando e direção de oficiais do CBMRO da ativa, designados pelo comandante-geral, coronel BM Nivaldo de Azevedo Ferreira. A Seduc proverá o Colégio Militar do Corpo de Bombeiros de recursos financeiros, patrimoniais e humanos, dentre os profissionais da Educação, integrantes do corpo docente, técnicos, auxiliares e outros recursos humanos, garantindo assim, o seu bom funcionamento.

A Unidade I definirá em seu regimento interno a oferta de vagas para matrículas e a forma de acesso.

Na sequência da transição, a diretoria de educação da Seduc determinará o encerramento das atividades da antiga escola, providenciando também a regularização da unidade
executora, inclusive, financeiramente.

Segundo a diretora-geral de educação na Seduc, Irani Oliveira, nada mudará na matriz curricular. “Nos colégios militares pode haver algum acréscimo de projetos, algo que todas as escolas fazem, mas o objeto do conhecimento que são os conteúdos são idênticos em todas as escolas”, explicou.

Ainda conforme a diretora, todo material pedagógico adquirido pela Seduc – plataformas do Revisa Enem, livros didáticos e paradidáticos – é encaminhado aos colégios militares, aos Tiradentes e agora os dos bombeiros.

De acordo com a Seduc, hoje, 756 alunos já estão matriculados no ensino fundamental e médio para o novo modelo.

Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Daiane Mendonça
Secom - Governo de Rondônia

Postar um comentário

0 Comentários