Djokovic diz estar disposto a perder torneios para não se vacinar contra a Covid-19: 'Decisões sobre meu corpo são mais importantes'

Tenista deu primeira entrevista após ser proibido de participar do Australian Open por falta de imunização

Porto Velho, RO - Após perder a oportunidade de participar do Australian Open, o tenista Novak Djokovic, atual número 1 do mundo, disse estar disposto a não disputar outros torneios importantes na carreira, como Roland Garros e Wimbledon, para evitar a vacinação contra a Covid-19.

Na primeira entrevista após a polêmica por não ter apresentado comprovante de imunização ao governo australiano, o sérvio justificou que não faz parte de nenhum movimento antivacina, mas defende o "direito de escolha" sobre receber ou não as doses contra o coronavírus.

— Esse é o preço que estou disposto a pagar. Os princípios de tomada de decisão sobre o meu corpo são mais importantes do que qualquer título ou qualquer outra coisa — ressaltou à BBC.

Djokovic disse ter sido "alvo de conclusões e suposições erradas", por isso decidiu se justificar. Revelou ainda que não descarta receber a vacina no futuro, definindo que está com a "mente aberta" para a possibilidade.

— Entendo que, globalmente, todos estão tentando fazer um grande esforço para lidar com esse vírus e ver, espero, o fim dele em breve. Entendo e apoio totalmente a liberdade de escolha de você querer se vacinar ou não. E eu não falei sobre isso antes, e não divulguei meu prontuário e meu estado vacinal, porque eu tinha o direito de manter isso em sigilo — afirmou.

Liderança em risco

O atleta diz estar totalmente ciente do impacto da decisão na carreira:

— Faço parte de um esporte global que é disputado toda semana em um local diferente. Então eu entendo as consequências da minha decisão. Uma delas foi não ir para a Austrália, e eu estava preparado para não ir. Entendo que não sendo vacinado hoje, não posso viajar para a maioria dos torneios — disse.

Fora do torneio da Austrália, o primeiro Grand Slam da temporada, o sérvio ficou mais longe do recorde de títulos nos quatro grandes torneios do tênis. A competição acabou vencida pelo espanhol Rafael Nadal, que desempatou a contagem com Djokovic e Roger Federer, chegando ao 21º e se tornando o atual recordista. Ele parabenizou o colega após a conquista.

Djokovic pode ficar de fora do Masters 1000 de Miami e Indian Wells, no Estados Unidos, o que o tiraria do topo do ranking da ATP.

Fonte: O Globo

Postar um comentário

0 Comentários