Publicidade

Obras de drenagem abandonadas na Zona Leste causam indignação e trazem perigo à comunidade


Criança caiu nesta valeta dias atrás

Porto Velho, Rondônia –Mais uma vez o descaso da prefeitura municipal de Porto Velho com relação aos moradores das áreas mais distantes do centro da cidade cria uma situação absurda.

É o caso do abandono de obras de drenagem num trecho da Avenida Rio de Janeiro, no Bairro Jardim Santana, Zona Lesta da capital. A situação comprova pouco zelo com o dinheiro público e ausência total de responsabilidade da parte de quem deveria atender as demandas da comunidade.

Prédio em risco de desabamento



As valetas abertas e com manilhas abandonadas cobrem um bom pedaço da via pública, e provocam vários tipos de perigo aos moradores, numa variedade que vai de acidentes ao perigo de desabamento de prédios.

Pior ainda: de acordo com moradores, a situação provocou um óbito de criança, que caiu numa das valetas e acabou se afogando. Dias atrás houve outro incidente parecido, ocasião em que outra criança caiu com sua bicicleta numa das valas, e ficou presa lá dentro, precisando ser resgatadas. Pessoas de idade também correm risco de cair nos vários buracos e valetas da avenida.

Além disso, vários prédios estão com suas estruturas abaladas devido ao problema. Foram registradas pelo menos duas situações do gênero, atingindo uma casa e um prédio comercial. No segundo caso, a valeta ao lado do estabelecimento já consumiu parte da calçada e chegou a limite de onde começa a construção.
Prefeitura apenas coloca faixas provisórias de advertência



Segundo os moradores o dilema se arrasta há vários anos, e a prefeitura, quando dá sinal de vida por ali, limita-se a fixar precariamente faixas plásticas de contenção e alerta, que não duram muito tempo no local.

A comunidade se mostra bastante revoltada com o descaso e exige uma resposta urgente do Poder Público para resolver os problemas. Naquele setor também não há rede de distribuição de água, outra questão que causa transtornos.

Veja na filmagem abaixo a lamentável situação em que se encontra o logradouro:


Postar um comentário

0 Comentários