Publicidade

Exército teria mudado status militar de Bolsonaro para permitir matrícula de filha


Laura, de 11 anos, foi matriculada no Colégio Militar de Brasília sem passar por processo seletivo

O Exército modificou o status militar do presidente Jair Bolsonaro, de capitão reformado para capitão da reserva, para que a filha dele, Laura Bolsonaro, pudesse ser matriculada no Colégio Militar de Brasília. A informação foi divulgada pela Folha de S. Paulo.


A menina de 11 anos teria sido matriculada na escola sem passar por processo seletivo, o que só é permitido para filhos de militares.

O processo sobre a matrícula de Laura foi colocado em sigilo pelo Exército até que termine o atual mandato de Bolsonaro.

Em uma resposta via Lei de Acesso à informação (LAI), o Exército disse que o processo de matrícula da filha do presidente seguiu a legislação “considerando que Bolsonaro é capitão da reserva do Exército brasileiro".

Porém, Bolsonaro é reformado. A principal diferença entre os dois status é que membros reformados não podem ser chamados para missões, ao contrário dos membros da reserva.


A portaria que estabelece as regras para ingresso de filhos de militares em colégios militares não faz menção a dependente de militares reformados, como é o caso de Bolsonaro.

Postar um comentário

0 Comentários