Publicidade

Agevisa e OPAS lançam projeto para fortalecer a prevenção contra IST, HIV/Aids e Hepatites Virais em região de fronteira


Ações de combate a endemias serão desenvolvidas em nove municípios que fazem fronteira com outros estados e país

Porto Velho, RO - Na quarta-feira (17) foi realizado em Porto Velho o lançamento do projeto: “Fortalecimento da capacidade local em prevenção das IST, HIV/Aids e Hepatites Virais em região de Fronteira para populações-chave e prioritárias, no contexto da covid-19 em Rondônia”, implementado pela Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/MS).

O evento realizado no decorrer de dois dias (17 e 18) é uma oportunidade para as equipes discutirem as ações de prevenção e combate às IST, HIV/Aids e Hepatites Virais em nove municípios rondonienses.

Na abertura da solenidade, o diretor-geral da Agevisa, Gilvander Gregório de Lima, destacou a importância da realização das ações integradas. “Nosso Estado é grande e os desafios são superlativos. Estamos atuando, planejando e construindo estratégias para combater as endemias. Ficamos muitos meses focados na covid-19, mas estamos atentos, pontou.


Ninguém vence uma guerra nenhuma sem ter estratégia, uma rotina de trabalho e o mais importante: ninguém é melhor que todos nós juntos”, ressaltou o diretor.

A gerente técnica de Epidemiologia, Maria Arlete Baldez, explicou que foram selecionados nove municípios para que seja trabalhado o projeto de fronteira. “Elencamos municípios que fazem parte de quatro Regionais de Saúde que estão na fronteira”.


No evento foram discutidos prevenção e combate às IST, HIV/Aids e Hepatites Virais

Os nove municípios selecionados são: Alto Alegre dos Parecis, Alta Floresta d’Oeste, Cabixi, Costa Marques, Guajará-Mirim, Nova Mamoré, Pimenteiras do Oeste, Porto Velho e São Francisco do Guaporé.

O representante da Organização Pan-Americana da Saúde, Marcelo Freitas, ressaltou a ação integrada entre as equipes que atuam na Epidemiologia na Agevisa.

“Rondônia tem um time maravilhoso, vemos comprometimento dos técnicos em todos as atividades; as equipes abraçam as propostas com muita força e energia, por isso só temos a agradecer. Além do compromisso com o projeto, nós da OPAS nos colocamos disponíveis para todo e qualquer suporte”.

A secretária adjunta municipal de Saúde de Porto Velho, Marilene Penatti, falou da necessidade de se ajustar os indicadores relativos ao controle e prevenção às IST, HIV/Aids e Hepatites Virais no município, em decorrência do lapso de dois anos.

“Os indicadores são ruins, mas estamos trabalhando para ajustar essa realidade. A ideia é alcançar um maior número de pessoas com ações de saúde. O Sistema Único de Saúde (SUS) precisa ser estendido para todos”, reforçou.

A secretária municipal de Saúde de São Francisco, Vera Lúcia Quadros, também participou da composição da mesa das autoridades.

Postar um comentário

0 Comentários