Publicidade

Embraer usa helicópteros para testar rotas de ‘carro voador

Teste começa no dia 8 de novembro, no Rio, com custos mais baixos do que voos comuns; passagens já estão à venda

A Eve Air Mobility, empresa da Embraer, inicia no dia 8 de novembro o simulado de Mobilidade Aérea Urbana (UAM), conectando a Barra da Tijuca com o Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Rio Galeão. A experiência, que se dará ao longo de um mês, com seis voos diários, será realizada com helicópteros convencionais, mas terá um custo mais baixo do que esses serviços costumam cobrar. O valor por trecho varia de R$ 99,90 a R$ 599,99, dependendo do dia e horário do voo.

A simulação considera valores próximos ao que se espera no futuro para uma operação com uma aeronave elétrica de pouso e decolagem vertical (eVTOL), o "carro voador", que ainda está em desenvolvimento pela Eve.

A comercialização das passagens teve início nesta terça-feira, 26, e será realizada pela Flapper, plataforma independente para voos sob demanda, conforme comunicado da Embraer ao mercado. Para comprar o serviço é preciso acessar este site ou fazer download do aplicativo da Flapper.

'Carro voador' que está em desenvolvimento pela Eve Air Mobility, empresa da Embraer.

Segundo Paul Malicki, CEO da Flapper, uma viagem de helicóptero normalmente tem valores muito mais altos, porque, no fretamento, é comum o helicóptero voltar vazio. Tipicamente também é cobrada uma hora cheia de voo. "Os valores variam para essa categoria de aeronave de R$ 3.050 até R$ 8.300 por trajeto completo", diz.

"No projeto da Eve pretendemos contar com passageiros na ida e na volta. Além disso, o projeto tem como objetivo testar a sensibilidade do preço, com inúmeros valores disponíveis, sujeitos à demanda. Podemos dizer que tal conceito é semelhante ao preço dinâmico da Uber. Embora o preço médio seja superior a R$ 99, estamos dispostos a ajustá-lo de acordo com a demanda", acrescenta Malicki.

A operação da aeronave na rota será feita pela Helisul Aviação, um dos maiores operadores de helicóptero da América Latina. A Universal Aviation conduzirá o operacional de solo. A concessionária Rio Galeão e o Centro Empresarial Mario Henrique Simonsen completam a parceria como os pontos de origem e destino e estudos associados à experiência.

"A abordagem de desenvolvimento da Eve centrada no ser humano busca esse tipo de validação prática de conceitos e hipóteses que nos ajudarão a entender e endereçar os principais desafios associados à oferta do serviço", disse André Stein, CEO da Eve. "A simulação no Rio de Janeiro, uma das cidades com mais congestionamento no Brasil e no mundo, nos ajudará a levantaras reais necessidades dos usuários, parceiros e comunidade que irão se beneficiar das nossas soluções de mobilidade."
Custo-benefício

A indústria de UAM pretende democratizar o acesso do público ao novo modal de transporte aéreo, com preços mais acessíveis. A aeronave da Eve, prevista para chegar ao mercado em 2026, será elétrica, com baixo ruído e zero emissões de carbono.

O simulado é parte de um conceito de operação iniciado em agosto deste ano, para integrar a mobilidade aérea urbana ao espaço aéreo brasileiro, tendo início pela cidade do Rio. Colaboram com a iniciativa inovadora mais de 50 especialistas de 12 instituições. A simulação, que será acompanhada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), tem apoio da Skyports, EDP, Beacon e Atech

Postar um comentário

0 Comentários