Publicidade

MP ingressa com Ação Civil Pública contra prefeita de Guajará-Mirim

Raíssa e Antônio: nepotismo


Porto Velho, Rondônia - Raíssa da Silva Paes (MDB), além do marido dela, Antônio Bento do Nascimento, e sua prima Ana Michele Silva Lima Vieira, são acusados de prática de improbidade administrativa. O Ministério Público Estadual, representado pela Promotora de Justiça Fernanda Alves Pöppl, ingressou com Ação Civil Pública com pedido de cautelar pedindo o afastamento imediato dos três de suas funções.


O MP argumenta que está caracterizada a prática de nepotismo, pois Antônio foi nomeado Secretário Municipal de Obras e Ana colocada na função de Chefe de Gabinete da administração de Raíssa. No caso do marido da prefeita, a situação é ainda pior, pois ele está com direitos políticos cassados por oito anos em virtude de condenação judicial, e ainda é detentor de dívida de R$ 600 mil com o erário público municipal.

A promotora argumenta que, na verdade, quem comanda a administração é o marido da prefeita, colocado estrategicamente na função de titular da pasta de Obras, mas com grande influência em todos os setores do Município.

Os três acusados, no entendimento do Ministério Público, estão cometendo ações que comprometem a impessoalidade, moralidade, legalidade, eficiência e indisponibilidade de interesse público em virtude da conduta.

O clima é tenso na cidade, e há até mesmo ameaças contra integrantes do Judiciário devido a decisões desfavoráveis aos mandatário do Executivo local, situação que foi tema de manifestação da Associação dos Magistrados de Rondônia.

Postar um comentário

0 Comentários